Notícias

Nota conjunta ADEPOL-PR / SIDEPOL-PR: A POLÍCIA CIVIL DE LONDRINA NÃO MORREU

02 de Outubro de 2020

Uma Instituição não se faz só de momentos ou de comentários na WEB. Quanto mais tempo tem de existência mais crises ela já passou e vai passar. Foi assim com a Igreja, com o Executivo, com o Congresso, com outros poderes e com o Jornalismo. Ou você acha que todos os meios de comunicação da época, jornais, rádios e tv, bradaram contra o nazismo, contra o fascismo ou contra a Ditadura no Brasil, não, também erraram, e por vezes continuam errando. Em editorial histórico de setembro de 2013 o Jornal o Globo reconheceu que errou ao apoiar o golpe militar de 1964, disse mais, que outros veículos de comunicação, como Folha e Estado, fizeram o mesmo. O erro faz parte da existência do ser humano.

Por outro lado, afirmar que o jornalismo morreu é o mesmo que afirmar que ele não é necessário. Sendo que todos nós sabemos que o jornalismo sério é essencial em um Estado Democrático de Direito, tal qual a Polícia Civil. Polícia Civil uma instituição centenária que sofre desde o seu nascituro com a ingerência e falta do apoio político, mas que foi reconhecida como a primeira a garantir a legalidade e a justiça.

Causa estranheza a manifestação de um apresentador de programa de TV de Londrina que arvorando-se de pretor da web julgou e divulgou o Fim da Polícia de Londrina como o resultado de uma operação que afastou alguns policiais civis. Não temos acesso aos autos e acredito que ele também não. Não fomos nomeados juízes e por isso oramos que os inocentes sejam absolvidos e os culpados sejam condenados.

Não pretendemos divulgar o nome do apresentador, pois talvez seja esse seu intuito “um momento de glória” diante de sua medíocre reportagem, ainda mais que seu conhecimento, conforme mesmo citou, parece restrito a filmes como Tropa de Elite.

Senhor apresentador, tenha certeza que a Polícia Civil de Londrina não morreu, o que parece que está sofrendo de algum mal é seu discurso verborrágico e sua capacidade limitada na análise dos fatos.

Curitiba e Londrina, 02 de outubro de 2020.

Diretorias da ADEPOL e do SIDEPOL.