Notícias

ENTIDADES QUE COMPÕEM A UPB PARTICIPAM DE REUNIÃO COM NOVO MINISTRO DA AGU EM DEFESA DA PARIDADE E INTEGRALIDADE

20 de Maio de 2020

Na última terça-feira (19), foi realizada, na Advocacia Geral da União (AGU), uma reunião com o Ministro José Levi Mello dos Amaral Júnior, onde foi discutido a edição do parecer que assegura o direito à integralidade e à paridade aos Policiais Civis que tenham ingressado na carreira até a publicação da Nova Previdência (EC 103/19).

Na reunião, os dirigentes das entidades que integram a UPB – Associação dos Delegados da Polícia Judiciária (ADPJ), Associação dos Delegados de Polícia Federal (ADPF), Federação Nacional dos Policiais Federais (FENAPEF), Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais (FENAPRF), Sindicato dos Policiais Civis do Distrito Federal (SINPOL-DF), Confederação Brasileira de Trabalhadores Policiais Civis (COBRAPOL), Federação Nacional dos Delegados da Polícia Federal (FENADEPOL) e a Associação das Mulheres Policiais (AMPOL), frisaram que o parecer dará segurança jurídica na integralidade e à paridade a todos os policiais que tomaram posse até a data da promulgação da Nova Previdência. Ainda na reunião, os dirigentes frisaram a urgência da publicação do parecer.

Segundo o Ministro José Levi Mello do Amaral Júnior, o secretário especial de Previdência e Trabalho, Bruno Bianco, tem ciência do acordo firmado entre a UPB, a bancada da Segurança Pública e o Governo Federal e o próprio secretário tratará do mérito da questão, desta forma, aguarda seu parecer para o andamento da publicação.

Dr. Daniel Prestes Fagundes, Presidente da ADEPOL-PR, tem acompanhado semanalmente o trabalho da ADPJ em reuniões virtuais. Segundo Dr Daniel, o tema da paridade é de extrema importância para a categoria policial. “É um tema muito caro para todos os Delegados, principalmente para os profissionais do Estado do Paraná, tendo em vista que mais de 60% dos Policiais Civis paranaenses adentraram na carreira pública após a data de 31 de dezembro de 2003, sendo assim, precisamos acompanhar de perto o andamento do processo na AGU, pois a aprovação do parecer afetará positivamente todos os Delegados e demais Policiais Civis”.