Notícias

ADEPOL-PR vai a Brasília discutir texto da PEC 06/2019 que trata da Reforma da Previdência

28 de Fevereiro de 2019

Em viagem a Brasília, no dia 20 de fevereiro, dia em que o Presidente Jair Messias Bolsonaro apresentou o tão esperado texto da reforma da previdência, a Diretoria da ADEPOL-PR – representada pelo Presidente da entidade, Dr. Daniel Fagundes, pelo Diretor Secretário, Dr. Pedro Filipe C. C de Andrade, e pelo Diretor Jurídico, Dr. Vyctor Grotti – esteve atenta ao fato no Congresso Nacional para uma série de encontros com parlamentares da Bancada Paranaense na Câmara dos Deputados. O objetivo das visitas foi o de levar informações iniciais aos parlamentares federais a respeito do perigo de retrocesso social em relação aos direitos previdenciários dos policiais civis, especialmente dos Delegados de Polícia, caso o texto da referida PEC seja aprovado sem as necessárias alterações para resguardar tais direitos. Ou seja, o objetivo foi chamar a atenção dos deputados para a necessidade de se manter a aposentadoria especial policial em razão das peculiaridades e do risco do exercício dos cargos policiais. Afinal, não se trata de privilégios, mas de tratamento previdenciário diferenciado a quem arrisca a própria vida para salvaguardar a vida da sociedade. As peculiaridades da profissão policial exigem tratamento previdenciário especial e adequado como garantiu o constituinte originário.

O presidente da ADEPOL-PR foi categórico em declarar total atenção e esforço ao tema, sensível aos Delegados de Polícia. “A pauta da Reforma da Previdência precisa ser discutida e isso, por vezes, terá que ser feito em Brasília, levando informações e apelos a cada deputado que representa o nosso Estado. De forma incansável fizemos isso na semana passada e assim o faremos quantas vezes for necessário. Diversas estratégias estão sendo definidas para mitigar os impactos deletérios do texto original da PEC 06/2019. Mas não podemos enfrentar a força do Governo Federal senão somando forças com outras categorias policiais, de todas as esferas, em torno da sigla UPB (União dos Policiais do Brasil), que foi criada especificamente para tratar desse tema tão caro aos policiais brasileiros e a suas famílias, claro, em consonância com a atuação de nossas representações nacionais, ADEPOL BR e ADPJ”, concluiu Dr. Daniel.