Notícias

ADEPOL-PR adere a estratégias classistas junto à UPB-PR na luta contra a reforma da previdência

28 de Fevereiro de 2019

Na tarde da última segunda-feira, dia 25 do corrente mês, a ADEPOL-PR deu mais um passo importante na atuação e apoio às definições de estratégias classistas junto ao Congresso Nacional em defesa da previdência policial. Em reunião promovida pela UPB-PR, sigla em torno da qual somam forças sindicatos e entidades classistas representantes de todas as forças policiais do Estado do Paraná, o Presidente da ADEPOL-PR, Dr. Daniel Fagundes, juntamente com o Dr. Vyctor Grotti, Diretor Jurídico da entidade, levaram à mesa de reuniões suas contribuições para a pauta e debateram com as demais lideranças os caminhos para resguardar a previdência policial das categorias da segurança pública.

Encontro serviu para definir estratégias de atuação

De acordo com o Presidente da ADEPOL-PR, o encontro serviu para que o grupo definisse as linhas de atuação em diferentes esferas de trabalho. “Para assegurar a busca pela manutenção dos direitos previdenciários dos policiais brasileiros diferentes categorias policiais somam forças dentro da UPB Paraná e neste primeiro encontro após a apresentação do texto oficial da PEC 06/19 já pudemos sentir o alcance que podemos ter nessa luta. Além de definir ações de atuação junto as bancadas do Congresso Nacional, com um foco especial nos parlamentares paranaenses, extraímos da reunião estratégias e ações de publicidade para sensibilizar a sociedade e alertar os deputados federais sobre os equívocos encontrados no texto da Reforma da Previdência. Também decidimos ratear entre as entidades de classe que participam da UPB-PR a contratação da empresa de publicidade A2M para fazermos uma campanha midiática em favor da previdência policial em contrapartida da campanha midiática que está sendo promovida pelo Governo Federal”, declarou o Dr. Daniel Fagundes.

Sensibilizar a população e o Congresso é parte da estratégia que terá uma estrutura publicitária à disposição

O encontro da UPB-PR foi promovido, na sede do Sindicato dos Policiais Rodoviários Federais do Estado do Paraná, SINPRF-PR, pelo presidente da entidade, Sidnei Nunes, que também preside a UPB no Paraná.  Para Nunes o momento é de extrema cautela e mobilização entre as categorias policiais.  “A previdência é um ponto de convergência da segurança pública e essa é a nossa prioridade. Existem muitas alterações necessárias, entre ela a transição para aposentação com idade mínima; aposentadoria diferenciada entre homens e mulheres, sem o aumento do tempo mínimo de serviço policial; e paridade e integralidade, independente da data de ingresso. Além disso, buscamos o envio de uma proposta para os trabalhadores da segurança pública, junto com a dos militares”, explica Nunes.

No encontro da última segunda-feira, participaram da reunião além do Presidente da UPB-PR e do SINPRF-PR, Sidnei Nunes, e do Presidente da ADEPOL – PR, Dr. Daniel Fagundes, juntamente com Dr. Vyctor Grotti, Diretor Jurídico da ADEPOL-PR,  o presidente do SINCLAPOL, Fábio Rossi Barddal Drummond; o presidente do SINDIPOL, Michel Franco; o presidente do SIGMUC, Luiz Vecchi; o diretor de assuntos sindicais do SIGMUC, Roberto Junior Prebianca; a presidente do SINPEF/PR, Bibiana Orsi; representante do SINDARSPEN, Guigo Fontoura; o representante da AVM, Machado;  o diretor regional da APCF, José Antonio Schamne; o presidente do SINDSEC-PR, Mário Monteiro; o presidente do SINPOAPAR, Alexandre Brondani; a secretária do SINPEF/PR , Luciana Brungari; e o secretário de assuntos jurídicos do SINDPF-PR, Dr. Marcos Eduardo Cabello.